O balanço de uma cobertura inédita para um Mundial histórico

Mais um Mundial de Jiu-Jitsu ficou na história.

Rodolfo Vieira foi coroado o novo rei do absoluto na faixa-preta, o nono desde 1996.

Além do grande vencedor, diversos outros campeões e campeãs saíram sorrindo da pirâmide de Long Beach.

E não foi só de vitórias que se fez o Mundial 2011. Os quatro dias de lutas na Califórnia foram o palco de dramas, polêmicas, lances de garra, emoção e apuro técnico.

E você acompanhou tudo isso aqui no Blog GRACIEMAG no Mundial.

A cobertura iniciou no dia 16 de maio, com uma entrevista exclusiva com o tricampeão mundial absoluto Roger Gracie.

Naquele bate-papo, o Gracie já citou que uma contusão poderia deixá-lo fora da edição desse ano.

E foi aqui no Blog também que você leu em primeira mão sobre a ausência de Roger, assim como os desfalques de Xande Ribeiro e Bráulio Estima.

Além de Roger Gracie, o Blog presenteou seus leitores com outras 12 entrevistas exclusivas nos dias que antecederam o Mundial 2011.

Conversamos com Rodolfo Vieira, Gabi Garcia, Caio Terra, Rômulo Barral, Marcelo Garcia, Rafael Mendes, entre outros.

Nessas conversas, surgiram frases de impacto.

“Quero ganhar mais dez mundiais”, disse Roger.

“Não perco o sono com o Roger”, disse Rodolfo.

“Nenhum adversário muda meu jogo”, disse Marcelo Garcia.

Além das entrevistas, relembramos os grandes momentos dos mundiais passados com depoimentos inéditos dos campeões do passado.

Ronaldo Jacaré, Royler Gracie, Xande e Saulo, Pé de Pano, Fáio Gurgel, Robson Moura, Victor Ribeiro, entre outros relembraram as glórias vividas desde 1996.

Para apimentar a cobertura, mais uma vez apostamos nos semifinalistas, finalistas e campeões da faixa-preta, um post sempre polêmico e que rendeu alguns dedos na cara do editor na hora do pódio, no domingo.

E quando chegou a hora da verdade em Long Beach, o Blog trabalhou duro para trazer as últimas notícias em primeira mão para os leitores.

Desde a quinta-feira, demos destaque a todas as faixas, contando histórias de atletas desde a branca.

No Blog, você leu a inspiradora história sobre Tyler Brey, o faixa-azul de cadeira de rodas com muito a ensinar.

Também acompanhou a trajetória de Cris Cyborg, a estrela do MMA feminino que decidiu se testar de pano e saiu com o ouro na faixa-roxa.

E não se pode esquecer dos 30 da Mongólia, que viajaram meio mundo para competir da faixa-branca à marrom.

Se é impossível acompanhar cada categoria em disputa em um Mundial com 2300 atletas inscritos, o Blog fez de tudo para deixar os leitores informados.

Noticiamos que a IBJJF estava publicando em sua página na internet os resultados de cada categoria assim que as chaves eram fechadas.

Foi aqui que você ficou sabendo em primeira mão das chaves do absoluto faixa-preta, no sábado.

E quando ao aberto começou, o Blog usou o Twitter para informar o avanço das chaves e os resultados das lutas.

E aqui pedimos desculpas aos leitores por um problema técnico que freou a realização do mesmo serviço no domingo, pelo menos nas fases iniciais dos pesos da faixa-preta.

Nas finais, voltamos a todo vapor.

Na segunda-feira, quando o leitor acordou, no melhor estilo jornal diário, o Blog já tinha um relato completo de todas as categorias da faixa-preta masculina e da marrom/preta feminina.

No total, foram 51 posts, sendo 30 durante os quatro dias de campeonato. O Blog produziu três vídeos exclusivos e uma galeria de foto por dia durante a cobertura.

Tamanha produção foi trabalho do fotógrafo Dan Rod, da repórter Deb Blyth e do editor Ivan Trindade. Na versão em inglês do Blog, contamos com a colaboração ágil do tradutor John Tabor III.

Para tanto trabalho, a recompensa é a resposta do público.

Desde 16 de maio, o blog registrou 51.179 acessos (apenas na versão em português), uma média diária de 2.326 visitas.

A equipe do Blog e do GRACIEMAG.com agradece a todos os leitores e promete trabalhar ainda mais para uma cobertura muito melhor no ano que vem!

Nos vemos no Mundial 2012!

Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário

No jornal de segunda, a manchete é: RODOLFO CAMPEÃO!

Este post foi pensado como um jornal de segunda-feira.

Quando você o estiver lendo, não será mais novidade para você tudo o que aconteceu no domingo do Mundial de Jiu-Jitsu 2011.

Você sabe quem são os campeões, você provavelmente viu as lutas ao vivo pela internet.

Pois, assim como o jornal de segunda, o Blog vai trazer algo mais.

Os detalhes, os dramas, a alegria, a tristeza, as frases, as polêmicas, as grandes imagens.

E para começar…

Rodolfo superstar
A vida do carioca de 21 anos Rodolfo Vieira mudou drasticamente pouco depois das 19hs do domingo, pelo horário californiano. Foi nesse horário que ele se tornou campeão mundial absoluto de Jiu-Jitsu, uma honra até hoje reservada a apenas outros oito homens em 16 anos de campeonato.

Os 9 a 0 em Bernardo Faria colocaram um ponto de exclamação na frase que o mundo do Jiu-Jitsu vem repetindo há tempos: Rodolfo Vieira é o melhor lutador de Jiu-Jitsu do último ano! Em Long Beach, niguém foi páreo para ele. Com muita pressão, bom jogo em pé recheado de quedas e gás quase infinito, Rodolfo finalizou Claudio Calasans, Sergio Moraes, Marcus Bochecha e Rafael Lovato Jr. Contra Bernardo Faria, em duas lutas, fez 12 a 0. Um título mais do que merecido e reconhecido inclusive pelos adversários, por exemplo Serginho: “Nós sempre vamos atrás de quem está no topo e hoje quem está no topo é o Rodolfo. Ele veio forte demais”, comentou.

O próprio Rodolfo, porém, parceia ainda não acreditar que sua vida tinha mudado. “Ainda não caiu a ficha não! É um sonho estar vivendo isso!”, disse, sorriso aberto. Além da descrença, a vitória no absoluto fez Rodolfo relembrar o passado recente. “Quando apareci em 2009 e ganhei de alguns faixas-pretas, me criticaram dizendo que eu tinha um jogo encardido, que eu conseguia passar ao juiz que eu estava fazendo algo por cima, enquanto amarrava”, contou. As críticas machucaram e a resposta veio dois anos depois: “Sempre soube que tinha um Jiu-Jitsu para a frente. Gosto muito de abrir o jogo na academia e faço isso nos campeonatos também”.  Rodolfo falou também sobre os motivos da superioridade demonstrada em Long Beach: “Não tenho vaidade no treino. Solto meu jogo e vou evoluindo. O engraçado é que treino até mais por baixo, mas no campeonato acabo jogando mais por cima e me saio bem”.

O repórter, chato e implicante, lembrou de Roger Gracie, o adversário que todos esperam ter do outro lado do tatame para ver como Rodolfo se sai. O garoto não perde a calma: “Para mim, ele ainda é o número 1″. O ADCC 2011 pode ser a ocasião para este primeiro encontro.

Mas, por enquanto, é hora de comemorar e se habituar com a nova vida. De agora em diante, Rodolfo terá alguns privilégios, como um lugar especial nas chaves de campeonato. Terá também mais exigências e desafios. Vai tirar mais fotos com fãs, vai dar mais autógrafos, será convidado para dar seminários ao redor do mundo. Do mesmo jeito, seu jogo será mais estudado. Vai virar o alvo preferido de todos.

Se lidar com a nova vida do mesmo modo que vem lidando com as guardas dos oponentes, tem tudo para ter muito bem sucedido.

Gabrielle contra (quase) todos
Dessa vez ela não teve a ajuda da amiga Luanna Alzuguir. Com uma costela trincada, a peso leve da Alliance ficou fora do absoluto. Então, Gabrielle Garcia ficou sozinha no absoluto. Bem, mais ou menos sozinha. Do lado dela estava toda a torcida da Alliance.

O problema é que o restante do público na pirâmide de Long Beach estava sempre do outro lado, o lado das adversárias. Gabrielle já está acostumada com isso, sempre foi assim. Ser grande no Jiu-Jitsu feminino é uma vantagem com muitos lados negativos. Em Long Beach, a torcida gritava que : “A arte é suave!”. Uma alusão à acusação que pesa sobre Gabi de que ela só vence por causa do tamanho. “Deixe que falem! Só eu sei quanto eu treino e o quanto eu mereço estar onde eu estou!”, respondeu Garcia, já com as medalhas do absoluto e do pesado penduradas no pescoço.

E diga-se a verdade, ultimamente Gabi está muito mais calma. Já não corre de dedo em riste para a torcida assim que vence.  No Mundial 2011, apenas na final do aberto (foto) transpareceu que os nervos atrapalharam o desempenho. Com o ginásio inteiro nas suas costas, a gaúcha da Alliance fez apenas 2 x 0 na peso leve Beatriz Mesquita, que por sua vez deu um show de defesa contra uma nervosa Gabi.

Depois do pódio, mais calma e com o sorriso em harmonia com as unhas pintadas de rosa, a bicampeã se auto-analisou: “Não sou a invencível, longe disso, mas treino para ser a melhor!”.

A motivação de Marcelinho
Se lutando, Marcelo Garcia costuma ser explosivo, quando fala o mineiro exala calma. “Todo ano tenho muita vontade de competir, mas a cada ano fica mais difícil, com mais lesões, mais compromissos”, responde ao ser perguntado até quando vai competir.

Na resposta de Marcelinho está a motivação para a pergunta. Quando se pensa que o último adversário a vencer o mineiro foi Fernando Tererê, no longínquo 2003, é de se perguntar porque ele continua se testando. Neste domingo, Marcelinho iniciou o caminho ao quinto ouro em sete anos fazendo 3 x 0 em Victor Estima. Depois apertou o pescoço de Guto Campos e na final fez 2 a 0 em Lucas Leite.

A outra parte da pergunta é: até quando veremos Marcelo Gracia competindo em alto nível? “Até quando eu conseguir mostrar um Jiu-Jitsu bonito e para frente. Paro quando não conseguir mais fazer as posições que sempre fiz”.

O destino de Durinho
Até o próprio Gilbert Burns confessa que já chegou a Long Beach para um Mundial mais bem cotado para o título. “Em 2009 e 2010 eu estava embalado por resultados anteriores, mas acabei perdendo”, lembrou.

Em 2011, Durinho ficou de fora das finais do Europeu, do Pan e do World Pro. para completar, Kron Gracie apertou seu pescoço na Itália, duas semanas antes do Mundial. “Deus tem um propósito na vida de todo mundo. Treinei muito para o Mundial e na luta contra o Kron, protegi bem meu pescoço”, disse Durinho, sobre o sorriso que recebeu da fortuna em Long Beach.

No mundial, desde as quartas de final, nada de moleza. Durinho passou por Lucas Lepri nas vantagens e fez 4 x 0 em Jonathan Torres. Na final, contra Kron Gracie, passou a guarda e raspou três vezes para construir a vantagem de 9 x 2 que o alçou a um novo patamar na carreira, o de campeão mundial. Algo muda agora? “Nada, só ganho ainda mais motivação para treinar”, disse.

Ainda no leve, não se pode deixar de falar de Celso Venícius, Michael Langhi e Kron, três estrelas que colaboraram para a categoria ser considerada a mais difícil do Mundial 2011. Langhi perdeu a semifinal para Kron na decisão dos juízes. O bicampeão falou do revés: “Estou chateado pelo resultado, mas satisfeito com o treino para o Mundial”.

Celsinho foi derrotado nos segundos finais por JT. Uma raspagem o tirou da disputa do tetracampeonato. Na tentativa de reverter a desvantagem, o tricampeão mostrou bravura e muita força. Não conseguiu, mas mereceu o aplauso do ginásio.

Kron, o vice-campeão, mostrou a coragem e vontade de finalizar de sempre. Lutando na nova categoria após ser vitima de uma virose que derrubou seu peso, Kron pensa em continuar entre os leves: “Gostei do meu desempenho. No médio, sentia o peso dos adversários, mas no leve me sinto bem”.

Quatro vezes Malfa
Lutando de pluma no Europeu e no Pan, Bruno Malfacine precisou se contentar com duas medalhas de prata, em derrotas para Ary Farias e Caio Terra. No Brasileiro, voltou ao topo, mas o grande teste aconteceria em Long Beach, no Mundial.

“Não posso dizer que estava sendo um ano ruim, pois cheguei a todas as finais dos grandes campeonatos. Meu jogo muda muito do galo para o pluma. No galo, fico mais confortável”, avaliou Bruninho.

No Mundial, finalizou Brandon Mullins, fez 10 a 0 em Josef Manuel e foi para a final com Caio Terra, de novo, a terceira vez em três anos e a terceira vitória. Mesmo assim, a derrota recente para caio no Pan fez com que o carioca da Alliance tomasse mais cuidado: “Estudei mais o jogo dele para chegar às posições sem correr risco”.

Agora tetracampeão, Malfa manteve a modéstia. É ou não o maior peso galo de todos os tempos? “Não sou eu que tenho que dizer isso, mas os resultados estão ai”.

A dieta de Gui Mendes
Ano passado Guilherme Mendes perdeu logo na primeira luta do peso pluma. Apesar das qualidades do algoz Paulo Melo, o grande vilão para o revés foi a balança. “Para lutar de pluma, tenho que perder sete quilos. Em 2010, um dia antes eu estava 4kg acima”, lembra.

Esse ano, tudo foi diferente. Sem a contusão que o fez ter que perder o peso em cima da hora, Gui Mendes fez tudo certo e com acompanhamento profissional. “Consultei uma nutricionista. Perdi quase dois quilos por semana no ritmo certo. Quando cheguei ao campeonato, já estava no peso”, conta.

O planejamento correto se refletiu no tatame. “Fiz quatro lutas e finalizei três”, enumera Gui, que finalizou Laercio Fernandes, fez 4 a 2 em Samuel Braga e fechou a final com Ary Farias, que chegou à decisão com um 5 x 0 nas vantagens em Pablo Silva e um 3 x 0 em Samir Chantre.

A vida de Serginho e o adeus de Rominho
A contusão que impediu Tarsis Humphreys de defender seu título no meio-pesado foi também a oportunidade para Sergio Morais conquistar seu segundo título mundial. O paulistano da Alliance subiu de peso para cumprir uma missão: “Foi uma estratégia do Fabio Gurgel”, revela Serginho.

Estratégia que provou-se vitoriosa. Nas quartas de final, Morais fez 4 x 0 em Eduardo Zanetti e depois só precisou lutar a final, já que enfrentaria na semi o companheiro de Alliance, Rogel Monsalve.

A decisão contra o bicampeão Romulo Brarral foi travada, disputada e decidida com uma queda de Serginho perto do fim. Depois do título assegurado, Morais explodiu: “Isso é a minha vida!” Depois, mais calmo, completou: “A gente coloca 100% e quer tirar 200%”.

Rominho não chegou ao ouro, mas emocionou a todos ao anunciar sua aposentadoria das competições. O mineiro deixou seu kimono sobre o tatame enquanto era ovacionado pelo público da pirâmide. Fará falta!

A nova estratégia de Rafael Mendes

A polêmica vivida há pouco mais de um mês em Abu Dhabi deixou marcas em Rafael Mendes. A decisão dos juízes a favor de Augusto “Tanquinho” Mendes fez com que Rafael decidisse algo muito simples, mas eficiente: “Passei a treinar para finalizar todas as lutas e nunca mais deixar a decisão na mão de outros”, revelou o agora bicampeão mundial dos penas.

Em Long Beach, Rafael não conseguiu finalizar todos os combates, mas mostrou o conhecido jogo ofensivo, agora somado à uma boa dose de estratégia. Na categoria, finalizou Leonardo Sagioro nas quartas e fez 4 a 2 em Mario Reis. Na final, veio o reencontro com Tanquinho, que havia eliminado Cobrinha.

“O Tanquinho é muito bom em escapar das posições. Ele quebra muito bem as pegadas”, avaliou Rafael, que revelou ainda que a rivalidade recém nascida entre os dois foi resolvida em um lugar inusitado: “Nos encontramos no banheiro antes da luta e concordamos que não tem motivo para um falar mal do outro. Isso só atrapalha a nossa imagem”, contou.

A decisão foi mais uma vez equilibrada, mas Rafa cumpriu a promessa e com uma vantagem a mais depois de trocas de raspagens na 50/50, chegou ao bicampeonato.

A nova foto no mural 

Quando viu o repórter do Blog chegar perto para a entrevista, Leo Nogueira logo disse: “Derrubei a sua previsão!”, referindo-se ao post em que apostei nos vencedores de cada categoria na última quarta-feira.No superpesado, eu havia apostado em Marcus Vinícius “Bochecha”. Errei.

Ao mesmo tempo em que brincou sobre o post no Blog, Leo falou sério, apontando o principal motivo da conquista: “Treino seis horas por dia e isso está fazendo efeito. Poderia ter lutado o absoluto, mas o Fabio decidiu ir com os dois campeões mundiais da equipe”, revelou. No ano que vem, Leo poderá entrar nessa briga em pé de igualdade por um lugar no aberto.

A decisão dos árbitros após o empate em 3 x 3 com Bochecha vai fazer com que o líder da Alliance tenha que fazer mais uma alteração na recém inaugurada sede de São Paulo. Uma foto em tamanho quase natural de Leonardo vai decorar a parede da área do tatame principal, somando-se às dos demais campeões mundiais da equipe. “Vai ser ótimo”, sorriu Leo sobre a novidade.

O estranho no ninho
No sábado, Antônio Braga Neto perdeu a terceira luta da sua caminhada até a final do absoluto. Foi finalizado por Bochecha. No Facebook, escreveu: “Agora é focar para a categoria, amanhã!’.

Promessa cumprida e com atuações seguras, Braga pegou o pé de Michael Wilson, fez 9 x 0 em Roberto Cyborg e 7 a 0 em Rodrigo Cavaca, na decisão. O bicampeonato mundial foi mais do que suficiente para apagar o revés de sábado, no aberto. E mais especial por ser a conquista de um “levinho” na categoria mais pesada do Jiu-Jitsu.

Mais emoções no feminino

Leticia Ribeiro sagrou-se hexacampeã!

Michele Nicolini ficou com o ouro no pena após luta polêmica contra Kyra Gracie.

Luanna Alzuguir venceu uma costela quebrada para finalizar Luiza Monteiro no pescoço.

Hannette Staack aplicou a finalização mais bonita do Mundial e tornou-se heptacampeã mundial com um belo armlock voador em Ida Hanson.

Talita Nogueira bateu Penny Thomas para ganhar também a faixa-preta.

Gabi Garcia finalizou Emily Watson.

Resultado por equipes:

Adulto:

1 – Alliance – 127

2 – Check Mat – 59

3 – Atos JJ – 44

Feminino:

1 – Alliance – 43

2 – Gracie Humaitá – 31

3 – Lloyd Irvin – 21

Gostou da edição? Em 2012 tem mais!

Publicado em Posts | Marcado com | Deixe um comentário

RODOLFO VIEIRA CAMPEÃO ABSOLUTO!

O carioca fez 9 x 0 em Bernardo Faria.

Aos 21 anos, ele é o novo campeão mundial faixa-preta.

Mais informações em instantes!

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Campeãs da faixa-preta definidas

Pluma

Leticia Ribeiro fez 3 x 2 em luta emocionante contra Nyjah Easton. Let é agora hexacampeã mundial!

Pena

Em luta polêmica, Michelle Nicolini derrotou Kyra Gracie por 3 x 1 nas vantagens após 4 x 4 em pontos.

Leve

Luanna Alzuguir não precisou de muito tempo para finalizar Luiza Monteiro pelas costas!

Médio

Na finalização mais bonita das finais, a agora heptacampeã Hannette Staack pegou Ida Hansson num armlock voador!

Meio-Pesado

Em luta muito estudada, mas repleta de emoção, Talita “Treta” Nogueira fez 4 x 0 em Penny Thomas pelo ouro.

Pesado

Gabi Garcia foi para cima de Emily Watson e finalizou no pescoço em luta rápida.

Em seguida, as finais do masculino.

Publicado em Posts | Marcado com , , | Deixe um comentário

Finais a todo vapor!

Acompanhe ao vivo por BudoVideos.com

Siga pelo Twitter em @graciemag_br @graciemag

Quando tudo acabar, volte aqui no Blog e leia a cobertura completa, curta as melhores imagens e  veja o que os grandes campeões do Mundial 2011 disseram!

Publicado em Posts | Deixe um comentário

Alexander Trans campeão absoluto marrom

O absoluto faixa-marrom ficou com a Dinamarca.

Alexander Trans é o grande campeão da categoria.

Na final, ele derrotou José Carlos Souza por 2 a 0.

Com o resultado, Trans consolidou seu domínio na faixa-marrom.

Trans na semifinal

Em 2011, ele ganhou peso e absoluto no Europeu, Pan e Mundial e o peso no Brasileiro. Só não ganhou o absoluto no Rio porque não lutou.

Em Long Beach, Trans fez 9 lutas, sendo 5 na categoria e 4 no aberto.

Será que ele ainda tem algo a fazer na faixa-marrom?

“Ainda cometo muitos erros e não depende de mim, mas dos meus professores”, respondeu um tranquilo Alexander.

Publicado em Posts | Marcado com , , | 2 Comentários

Confrontos de domingo na faixa-preta definidas

Já foram definidas as quartas de final das categorias da faixa-preta do Mundial 2011.

Até o momento, são elas:

Galo

Bruno Malfacine x Brandon Mullins

Josef Manuel x Joseph Capizzi

João Carlos Kuraoka x Yusuke Honma

Caio Terra x Fábio Passos

Pluma

Guilherme Mendes x Laercio Fernandes

Samuel Braga x Carlos Vieira Holanda

Samir Chantre x Gabriel dos Santos

Pablo da Silva x Ary Farias

Pena

Rubens Charles Cobrinha x Eduardo Ramos da Silva

Bruno Frazatto x Augusto Tanquinho Mendes

Rafael Mendes x Leonardo Saggioro

Mario Reis x Marcelino de Freitas

Leve

Michael Langhi x Davi Ramos

Leandro Lo x Kron Gracie

Lucas Lepri x Gilbert Durinho

Celso Venícius x Jonathan Torres

Médio

Marcelo Garcia x Victor Estima

Gustavo Campos x Daniel Dias

Clark Gracie x Gabriel Rollo

Lucas x Leite x Vinícius Corrales

Meio pesado

Rômulo Barral x Eduardo Telles

Eduardo Santoro x Fabiano Junior

Sergio Morais x Eduardo Zanetti

Gustavo Junqueira x Rogel Monsalve

Pesado

Luke Steward x Bernardo Faria

Roberto Alencar x Antônio Carlos Barbosa

Guybson Sá x Rodolfo Vieira

Renan Vital x Rafael Lovato

Superpesado

Antônio Carlos Peinado x Bruno Bastos

Charles Leite x Marcus Vinicius Bochecha

João Assis x Ricardo Oliveira

Alberto Vilanova x Leonardo Nogueira

Pesadíssimo

Roberto Cyborg Abreu x Carlos Eduardo Farias

Michael Wilson x Antônio Braga Neto

Marcio Cruz x Fabiano Scherner

Rodrigo Cavaca já está na semifinal pois os adversários da chave foram desclassificados.

No feminino, foram definidas as finais de cada categoria.

Pluma

Leticia Ribeiro x Nyjah Easton

Pena

Kyra Gracie x Michelle Nicolini

Leve

Luana Alzuguir x Luiza Monteiro

Médio

Ida Hansson x Hannette Staack

Meio-pesado

Penny Thomas x Talita Nogueira

Pesado

Gabrielle Garcia x Emily Wetzel

Publicado em Posts | Marcado com | 2 Comentários

A segundos da final

Em mais um vídeo exclusivo, o Blog GRACIEMAG no Mundial mostra os 20 segundos finais das duas semifinais do absoluto faixa-preta.

Acompanhe a emoção de Rodolfo Vieira e Bernardo Faria quando a vaga na final vira certeza.

Siga ligado na melhor e mais completa cobertura do Mundial 2011.

Publicado em Uncategorized | 1 comentário

Um marrom no topo do absoluto roxa

Que diferença um ano faz!

Em 2010, Felipe Pena, recém chegado à faixa-roxa não conseguiu nem subir ao pódio no Mundial.

Em 2011, o som que se ouvia ao se chegar perto dele era de metal contra metal.

Com duas medalhas de ouro no pescoço, o mineiro de BH nem tentava esconder a felicidade.

Aluno de Draculino e Rômulo Barral, o jovem de 19 anos fez 10 lutas no Mundial 2011 e finalizou sete oponentes.

No absoluto, bateu Marcus Sosa, mesmo adversário batido na decisão do meio-pesado.

O que fez a diferença? “O tempo e o treino”, respondeu Felipe.

Os dois ouros pendurados no pescoço significaram também uma despedida para Pena.

Perguntado se agora viria a faixa-marrom, respondeu: “Não sei”.

Draculino e Barral esclareceram a dúvida amarrando a nova cor na cintura do aluno.

Publicado em Posts | Marcado com , , | Deixe um comentário

Entrevista: Rodolfo Vieira e a campanha no absoluto

Logo depois de garantir sua vaga na final do absoluto faixa-preta, Rodolfo Vieira falou ao Blog.

O carioca comentou a sensação de poder decidir o título mais importante do Jiu-Jitsu, falou sobre o adversário Bernardo Faria e relembrou a campanha até a decisão.

Com a palavra, Rodolfo Vieira.

Em seguida, papo com o outro finalista, Bernardo Faria.

Publicado em Posts, Video | Marcado com , , , | Deixe um comentário